Automação e informação fazem bem para sua empresa

Na segunda parte da entrevista com a Head of Accounts da Adyen para a América Latina, Blanca Engels, você entenderá porque a automação é uma tendência global no mercado de pagamentos

A Head of Accounts da Adyen para a América Latina, Blanca Engels, acompanha as tendências do mercado de pagamentos por meio do intercâmbio de experiência nos escritórios da empresa e por ser Account Manager de grandes clientes globais. Segundo ela, a automação tende a ser uma tendência cada vez mais comum para empresas inteligentes, que querem oferecer a seus consumidores um fluxo de pagamentos o mais descomplicado possível.

- Na primeira parte de sua entrevista você menciona o quanto é importante ter uma equipe de Account Managers que entregue insights e estratégias de maneira proativa ao cliente. Além deles, qual é outro diferencial de um provedor de serviços de pagamento?

Blanca Engels: Extração de dados. A inteligência de tratamento de dados até há pouco tempo era vista como uma commodity e por isso, as empresas deixavam os sistemas de processamento de pagamento rodando, sem nenhum acompanhamento. Agora, os gestores perceberam que neste processo existem diversas oportunidades de encontrar insights para aumentar receitas. No Brasil, isto está em plena ascensão, principalmente nos setores de varejo e serviços.

- E como uma empresa pode tirar o máximo benefício disso?

BE: É importante que a empresa conheça em profundidade a ferramenta que contratou; como ela funciona e o que pode entregar; quais suas capacidades e limitações. Na Adyen, adotamos uma posição absolutamente transparente. Nós, Account Managers, junto da equipe de Customer Service, estamos sempre à disposição para atender nossos cliente e tirar suas dúvidas. Além disso, organizamos eventos para difundir e trocar cada vez mais conhecimento.

- Por que a Adyen enxerga isso como uma prática indispensável?

BE: Porque vemos que o mercado precisa encontrar informação de qualidade e em volume o suficiente para entender que as coisas estão mudando e se tornando mais sofisticadas. Setores como os de cartões e de pagamento, carentes há tanto tempo de mudanças, se acostumaram com a falta de inovação e transparência e precisam aprender que a realidade não precisa mais ser esta apenas porque sempre foi assim.

- O que as empresas precisam saber sobre a automação de pagamentos? Não apenas sobre a automação do processamento, mas sobre tudo o que acontece depois que o consumidor clica o botão “Finalizar Compra”.

BE: Você já se perguntou por quê um pagamento é recusado? Sabia que podemos fazer ou não uma retentativa com base em histórico de dados transacionais? Sabia que alguns BINs são mais aprovados em determinados adquirentes do que em outros? Que a gestão de risco tradicional de checagem de velocidade e de dados básicos dos consumidores já não são suficientemente precisas? Estas são todas questões que fazem parte do processo de automação do pagamento.

- Algumas empresas ainda não veem a automação como um benefício. Elas sentem que podem perder o controle sobre etapas de seus negócios se fizerem essa opção. Na sua opinião, por que esta impressão ainda persiste?

BE: Porque ainda temos medo de mudança, de mexer no que está “funcionando”. Contudo, basta olhar para mercados mais avançados no e-commerce e entender que a automação é uma tendência global, que aumenta eficiência, reduz custos e ensina mais sobre nosso negócio e clientes.