Centro de conhecimento
Guias e relatórios

Loja física ainda é central para o varejo no Brasil

Relatório Varejo 2022 da Adyen mostra que importância da loja física permanece, mas que os espaços devem proporcionar outras experiências e tecnologias

6 julho, 2022
 ·  3 minutos
Loja física ainda é central para o varejo no Brasil

O ecommerce teve seu momento, mas agora é a hora da volta daloja física. Segundo o levantamento Mastercard SpendingPulse, as vendas do varejo físico em fevereiro subiram 27,8% na comparação com o mesmo período de 2021. Já as vendas pelos canais digitais recuaram 15,8%.

No entanto, 77% dos clientes brasileiros querem que a loja física seja atrativa não só com bons produtos, mas que ofereça outras experiências.

É o que mostra o Relatório do Varejo 2022 da Adyen, uma pesquisa global que consultou 10 mil varejistas de 23 países e 40 mil consumidores de 26 países. Como a Adyen também tem sede no país, o Brasil recebeu destaque.

De acordo com o relatório, 66% dos consumidores querem que as lojas coloquem mais tecnologia em seusespaços físicos.

Em 2021, essa porcentagem era de 48%, indicando que o consumidor brasileiro está cada vez mais ávido por experiênciasphygital- que mistura o físico com o digital - na hora de fazer suas compras.

Loja física no Brasil pós-pandemia

O período de isolamento forçou novos hábitos aos clientes, que podem não querer abdicar das facilidades das compras online, mas não há como negar o desejo do brasileiro de voltar a frequentar espaços físicos.

Segundo o Relatório Varejo 2022, 72% dos brasileiros entendem que a loja física ainda é um importante ponto de relacionamento com a marca, mesmo que eles não efetuem as compras no local.

O número é maior que a média global, em que 64% dos entrevistados veem o valor das lojas físicas independentemente de comprar lá ou não.

Tecnologia e varejo

Apesar da vontade de interagir com mais tecnologia durante suas experiências de compras, 43% dos consumidores do país dizem que as marcassão muito lentas ao adotar novas tecnologias.

O diagnóstico parece ter chegado aos varejistas, já que 98% dos negócios consultados pelo relatório disseram que pretendem investir em mais tecnologia em 2022.

Outro fator que ajudou os varejistas a entender a importância da tecnologia foi a pandemia: 80% dos comerciantes brasileiros conseguiram limitar a perda de vendas em loja física com ocomércio online.

Mais tecnologia, mais lojas

Os dados mostram um consumidor brasileiro diferente, que quer mais tecnologia, mas que não abandona e valoriza a loja física: 39% dos consumidores do país ainda preferem sair de casa para fazer as suas compras.

Por conta disso, 55% dos varejistas do país disseram que pretendem expandir suas quantidades de lojas neste ano. Globalmente, 41% dos varejistas pretendem aumentar a presença no mundo físico.

Os hábitos e algumas preferências podem ter mudado, mas a loja física continua um importante ponto de relacionamento entre clientes e marcas - mesmo que as compras sejam feitas na internet. Cabe ao varejista se adaptar às novas demandas por tecnologia, tanto no ambiente online quanto offline.




Inscreva-se para receber nossa newsletter

Mande sua solicitação

Eu confirmo ter lido a Política de Privacidade da Adyen e concordo que meus dados sejam utilizados como descreve o documento.