A Europa continua buscando ser um único mercado digital. Isso inclui a descentralização de serviços financeiros e o fortalecimento das regulamentações de segurança que acompanharão a Diretiva de Serviços de Pagamento Revisada (PSD2 - "Payment Services Directive").

[ARTIGO]: Como a PSD2 impactará o cenário de pagamentos

O varejo online na Europa está crescendo exponencialmente, principalmente no sul, onde o crescimento é alimentado pelo ecommerce e sua população mais jovem. Contudo, ainda existem alguns desafios relacionadas à conectividade e à abertura para compras internacionais.

De acordo com o Relatório de Ecommerce da Europa, o Ecommerce Foundation 2017, a conectividade está crescendo de forma consistente, com um aumento de 13% nos últimos 5 anos. A Europa do Norte assume a liderança com 93% de usuários online, seguida pela Europa Ocidental com 89%, a Europa Central com 86%, a Europa do Sul com 71% e a Europa Oriental com 66%.

Quando se trata de compras internacionais, Luxemburgo é o líder com 74% das compras feitas em varejistas do exterior. A Rússia também está se abrindo para o mercado internacional. E, de acordo com os dados da Adyen, consumidores suíços, belgas, irlandeses, holandeses e alemães também fazem muitos pedidos internacionais. Os consumidores espanhóis ainda preferem comprar no mercado interno.

No entanto, apesar da disposição dos consumidores da Alemanha e da Holanda para fazer compras em sites internacionais, os métodos de pagamento locais predominam na hora de pagar. Uma empresa local não é obrigada a aceitar métodos de pagamento locais nestes mercados, mas será necessário ter uma empresa local em pelo menos um país da UE para aceitar cartões em todos os mercados.

Europe
Austria

Áustria

O panorama de pagamentos da Áustria é parecido com o alemão. Além das transações bancárias online (transferências de crédito), os débitos diretos são também populares.  Os pagamentos por cartão crescem constantemente a uma taxa próxima a 10% ao ano, o que faz com que essa opção de pagamento seja essencial.

Belgium

Bélgica

Os consumidores belgas estão relativamente abertos a fazer compras internacionais, com 25% das transações acontecendo em sites estrangeiros.

O método mais popular na Bélgica é o Bancontact, com mais cartões em circulação do que cidadãos belgas. Trata-se de um cartão de débito que oferece garantia de 100% no pagamento e pode ser usado em todos os canais (online/móvel/POS). Também é possível processar transações recorrentes com o Bancontact por meio do Débito Direto SEPA.

No geral, os métodos de pagamento mais comuns para pagamentos online são Bancontact, cartões de crédito (Visa, Mastercard e Amex) e cartões de débito (Maestro). Paypal, SEPA e Sofort também são populares.

Dica dos especialistas

Hoje, muitos consumidores que tentam comprar em seus smartphones acabam bloqueados, pois a versão móvel do Bancontact não é suportada. A versão tradicional do Bancontact requer um dispositivo do banco (digipass/leitor de cartão) para gerar um token de autenticação. Quando se trata de uma experiência móvel, isso pode ser uma verdadeira barreira para a conversão. A versão móvel também facilita as compras dos consumidores que usam seus desktops, uma vez que eles só precisam de um código QR para fazer sua autenticação. Nota: caso tenha o Bancontact/Maestro, certifique-se de que o código CVC não é obrigatório, pois não há CVC nos cartões Maestro belgas.

MaisMenos
Czech Republic

República Tcheca

O ecommerce e a presença online da República Tcheca têm crescido rapidamente nos últimos anos. Em lojas online, o método de pagamento mais popular é o pagamento via cartão de crédito.

Denmark

Dinamarca

O mercado de métodos de pagamento da Dinamarca continua sendo dominada por cartões, entre os quais se destacam os cartões de débito Dankort associados à Visa.

France

França

A França representa uma ótima oportunidade de expansão de negócios, com a expectativa de crescimento de US$ 64 bilhões das vendas de ecommerce em 2018.

Os Cartes Bancaires (CB: a bandeira local francesa) dominam o cenário de pagamentos, e a maioria dos cartões franceses é CB em parceria com o Visa ou Mastercard. Como membro direto do CB, podemos conseguir as taxas de autorização mais altas possíveis para os nossos consumidores.

Dica dos especialistas

Uma entidade local francesa não é exigida para adquirência local, embora (como ocorre com a maioria dos países da zona do euro) uma entidade da Eunião Europeia seja obrigatória.

MaisMenos
Germany

Alemanha

Os alemães são alguns dos consumidores mais abertos para compras entre fronteiras no mundo, com mais de 50% das compras de varejo online realizadas em sites internacionais.

No entanto, apesar desta disposição, a Alemanha é um dos mercados mais fragmentados em relação aos métodos de pagamento. Os métodos de pagamento sem cartão de crédito, como débito direto SEPA, SOFORT e Giropay, representam a maioria das transações online. No varejo (especificamente no setor de moda), outro método de pagamento popular é a fatura aberta. Isso ocorre quando um terceiro paga pelos produtos e serviços e, em seguida, cobra o pagamento do consumidor após a entrega.

[ARTIGO]: Débito Direto SEPA: as 10 práticas recomendadas

Se estiver planejando entrar na Europa, você deve considerar a Alemanha como um dos primeiros mercados, devido ao seu tamanho e à sua abertura aos pagamentos internacionais.

Dica dos especialistas

Para empresas que tenham a Europa como meta de expansão internacional, recomendamos que comecem pela Alemanha, devido a sua abertura a pagamentos realizados com métodos de pagamento entre fronteiras e, também, devido a seu tamanho.

MaisMenos
Finland

Finlândia

A Finlândia é um dos países líderes no mercado de serviços e transações bancárias por internet.

Italy

Itália

A Itália é o quarto maior mercado de ecommerce da Europa. Mais de 80% dos italianos estão online e isso deverá aumentar em 16% durante o ano de 2018. Em 2016, a Itália tinha 13 milhões de consumidores frequentes online, com um gasto médio anual de 1.400 euros cada.

Os consumidores italianos curtem as compras móveis e o PayPal é um método de pagamento popular. Os cartões pré-pagos também são populares devido a uma maior sensação de segurança e custos reduzidos. Os cartões de crédito mais populares são Visa e Mastercard e o cartão de débito pré-pago mais popular é o Postepay (em parceria com o Visa). A bandeira de débito local PagoBancomat anunciou que também lançará um método de pagamento via Web em breve. Com o reconhecimento da marca e a alta penetração de cartões, é esperado que esse método cresça rapidamente.

Netherlands, the

Holanda

Comprar em sites internacionais é relativamente comum na Holanda e o método de pagamento mais popular, o iDEAL, é holandês. O iDEAL é um sistema interbancário coberto pelos principais bancos da Holanda, que permite que os consumidores usem suas contas bancárias em transações online. Os pagamentos com débitos diretos e fatura aberta também são populares.

Dica dos especialistas

Devido à facilidade de realizar negócios, também considere a Holanda como um dos primeiros mercados europeus para entrar. Oferecer iDEAL como método de pagamento é fundamental.

MaisMenos
Norway

Noruega

A Noruega tem uma das taxas mais altas de uso de cartão per capita na Europa, o que faz com que os cartões sejam o método mais comum de pagamento online. Os pagamentos móveis também estão se tornando cada vez mais populares graças aos aplicativos móveis como o VIPPS. Além disso, pagar após recebimento com Klarna também é comum na Noruega.

Poland

Polônia

A Polônia é o nono maior país da Europa, com uma população de mais de 38 milhões de pessoas. As transações bancárias online são, de longe, o método de pagamento preferido neste país.

Dica dos especialistas

Não é difícil entrar no mercado polonês, pois ele não exige abertura de uma empresa local e suporte à liquidação like-for-like. Entretanto, os bancos emissores poloneses exigem que os titulares registrem seu cartão na primeira vez que efetuam uma compra. – Quando não registrado, o cartão é sistematicamente recusado para compras online.

MaisMenos
Portugal

Portugal

O ecommerce em Portugal teve uma estimativa de crescimento de mais de 12% em 2017, totalizando 4,73 bilhões de euros em vendas online no final do ano.

A popularidade dos cartões é bastante alta em Portugal. Mas o método de pagamento mais comum é o MultiBanco, que representou quase 86% das vendas totais em 2016 (29% em termos de valor monetário anual). Esta é uma opção pós-paga em que uma fatura é gerada no checkout e depois paga em caixas eletrônicos com um cartão de débito ou via transação bancária online.

Dica dos especialistas

Para os varejistas, o MultiBanco pode representar até 50% dos pagamentos em Portugal.

MaisMenos
Russia

Rússia

O ecommerce na Rússia alcançou os 7,2 bilhões de Euros no primeiro semestre de 2017, um aumento de 22% em relação ao mesmo período do ano anterior. Há uma expectativa de atingir 15,99 bilhões de Euros até o final do ano.

A Rússia é um ótimo exemplo de um mercado importante em que os cartões de crédito não dominam. Na verdade, os cartões representam apenas uma pequena parcela das transações online. Em vez disso, os métodos de pagamento locais mais populares são dinheiro, transações bancárias online e ewallets. Entre elas, a

Yandex.Money é a carteira eletrônica mais popular com opções de recarga, incluindo cartões pré-pagos, transações bancárias online e dinheiro

  • Qiwi, é uma carteira eletrônica que pode ser carregada em um dos seus 150 mil terminais de pagamento, bem como com cartões de crédito/débito em um telefone
  • Sberbank é o maior banco local com 40 milhões de usuários. Como os cartões de débito são os preferidos, as transações bancárias online são a melhor solução para alcançar os consumidores russos.
  • Os pagamentos em dinheiro por meio de caixas eletrônicos ou quiosques/locais de pagamento são bastante populares. A crescente sofisticação dos terminais de pagamento resultou em uma experiência do usuário descomplicada e em automação para pagamentos eletrônicos.

Na Rússia, os pagamentos por meio de caixas eletrônicos são bastante populares. A crescente sofisticação nos terminais resultou em uma experiência do usuário descomplicada que agora inclui recargas automáticas e pagamentos recorrentes.

Dica dos especialistas

Uma entidade local não é necessária para o processamento de pagamentos sem cartão e a maioria das opções de pagamento na Rússia é de fácil acesso. A Adyen opera com as maiores carteiras e bancos online, bem como com várias opções em dinheiro. Para processar cartões localmente, será necessário uma empresa e uma conta bancária local.

MaisMenos
Spain

Espanha

Em 2017, o faturamento de ecommerce B2C espanhol cresceu em 8% para 28 bilhões de euros. Do total da população online, 26,1 milhões compraram algo online em 2015 e a média gasta foi de 1.089 euros.

O dinheiro ainda é o método de pagamento mais popular na Espanha, e o número de caixas eletrônicos por milhão de habitantes é o mais alto da Europa. Os cartões também são populares na Espanha, com mais de 85% da população com pelo menos um cartão de débito ou crédito. Todos os cartões são emitidos em parceria com o Visa ou Mastercard. Os cartões virtuais pré-pagos para compras online também estão crescendo em popularidade. Por enquanto, os métodos de pagamento alternativos ainda não ganharam momento, assim como o pagamento em parcelas.

Embora todos os cartões emitidos na Espanha sejam compatíveis com o 3D Secure, usá-los para todas as transações pode reduzir suas taxas de conversão em até 20%. Por esse motivo, mais empresas estão usando regras dinâmicas para acionar o 3D Secure somente quando necessário. Mas as limitações dos sistemas de processamento antigos presentes no País podem tornar isso um desafio.

Dica dos especialistas

Para obter as melhores taxas de autorização, recomendamos o processamento por meio de um adquirente local (a Adyen oferece os meios de compra mais populares deste mercado). O Dynamic 3D Secure (parte do sistema de risco da Adyen, o RevenueProtect) irá ajudá-lo a equilibrar segurança e conversão para seus consumidores espanhóis.

MaisMenos
Sweden

Suécia

No maior país nórdico, a Suécia, o comércio eletrônico foi de 11,5 bilhões de euros em 2017, um aumento de 9% ao ano. O total nos países nórdicos em 2016 foi de 21,9 bilhões de euros.

Embora os cartões se mantenham a maneira mais popular de pagar pela Internet, a Suécia está na vanguarda dos pagamentos com fatura aberta (Klarna). Este método de pagamento está expandindo internacionalmente e é agora o segundo mais popular método depois dos cartões e o mais popular no varejo. As transações bancárias online por meio de bancos, como Handelsbanken, SEB e Nordea, são o terceiro método de pagamento mais popular. Isso pode ser feito por meio de serviços de pagamento bancário online  ou do popular aplicativo de transferência bancária direta, o Swish. O Apple Pay foi lançado recentemente na Suécia, juntamente com a Dinamarca e a Finlândia

Alguns emissores suecos exigem o 3D Secure para todas as transações de cartão ou que o consumidor faça compras de ecommerce dentro de um período limitado.

Dica dos especialistas

A Adyen oferece suporte completo para os métodos de pagamento de fatura aberta. Isso se aplica aos produtos de varejo, mas não à vendas de produtos digitais. O 3D Secure dinâmico (parte do sistema de risco da Adyen, o RevenueProtect) permite o controle de quando aplicar o 3D Secure. Isso é particularmente útil para cartões emitidos por bancos que exigem o 3D Secure.

MaisMenos
Switzerland

Suíça

O mercado de ecommerce da Suíça tem crescido rapidamente - em 2017, já chegou a 10%. A média gasta por consumidor em 2015 foi de € 1.815,00. Os métodos populares de pagamento são fatura, cartão de crédito e PayPal.

Turkey

Turquia

O ecommerce na Turquia valia 7,95 bilhões de euros em 2016. O fato de estar atrás de outros países europeus indica que ainda há muito espaço para crescimento. Os consumidores online são jovens e experientes em tecnologia móvel, com cerca de um quarto dos consumidores online usando o celular para fazer compras.

Os cartões de crédito são populares, representando 80% das transações de ecommerce. 65% dessas são pagas em parcelas. Atualmente, os cartões pré-pagos estão se mostrando o maior crescimento.

Semelhante ao MIR na Rússia, o switch local BKM lançou uma bandeira de cartão local chamada TROY em 2016. E em junho de 2017, foram emitidos 400 mil cartões.

Dica dos especialistas

A Turquia se enquadra no interchange europeu para Visa e o interchange internacional é, portanto, 0,20% para débito e 0,30% para crédito, sendo mais barato do que o intercâmbio local. Mas existem algumas especificidades locais dentro do mercado que podem exigir processamento por meio de um adquirente local. Entre elas: 1. O parcelamento no cartão de crédito é popular, mas pode ser oferecido somente com conexão a bancos individuais. 2. As compras internacionais podem levar a taxas mais altas para o consumidor e o parcelamento é possível apenas se conectado a um adquirente local. (Nota: a Adyen está conectada a todos os bancos por meio de um parceiro e, portanto, pode oferecer o parcelamento para a maioria dos clientes turcos.) 3.O 3D Secure é obrigatório na maioria das transações com cartões de débito e os pagamentos recorrentes não são utilizados para a maioria desses cartões.

MaisMenos
United Kingdom

Reino Unido

O Reino Unido é uma das principais economias do mundo ocidental. Embora as consequências do Brexit ainda não estejam claras, isso já teve impacto no e-commerce. Uma libra mais fraca tornou o Reino Unido atraente para os consumidores internacionais e os britânicos têm menos chances de fazer compras no exterior.

Os consumidores do Reino Unido são líderes mundiais em termos de compras móveis e os cartões de débito são populares, com o consumidor médio tendo entre 2 e 3 cartões por pessoa. Os cartões representam aproximadamente 90% de todos os pagamentos online. O Paypal é outra opção popular e as transações bancárias online são praticamente inexistentes.

Dica dos especialistas

Atualmente, o Reino Unido é o único país europeu em que o AVS (Address Verification Service, Serviço de verificação de endereço) é utilizado. E há um bom suporte de dos bancos emissores para o 3D Secure. Como resultado, o Reino Unido é um dos poucos países em que a ativação do 3D Secure realmente melhora a conversão geral. Isso ocorre graças à Autenticação baseada em Risco (RBA, Risk Based Authentication), em que o banco emissor opta por renunciar o processo de autenticação completo, se considerar que a transação é de baixo risco. O serviço de Account Updater da Visa e Mastercard também estão disponíveis no Reino Unido, para garantir que seus cartões estejam sempre atualizados.

MaisMenos