Por que o 3DS 2.0 é importante para uma experiência de pagamentos sem barreiras

Nova versão do protocolo utiliza mais de 100 campos de dados do usuário para autenticação imperceptível de transações online e traz mais segurança para lojistas, bancos e bandeiras de cartão.

Segurança e experiência sem atritos são dois fatores indispensáveis na nova era dos pagamentos. E quando conseguimos unir as duas coisas em uma transação, atingimos o modelo ideal dos pagamentos tanto para o usuário quanto para toda a cadeia de pagamentos – do lojista ao banco e às bandeiras. É por isso que a Adyen é a pioneira na oferta global do protocolo 3DS 2.0, primeira solução que permite a verificação praticamente imperceptível das transações.

Reunimos na última terça, 16 de outubro,  clientes e parceiros no evento Gestão de Risco e 3DS 2.0 onde falamos sobre os desafios do mercado  brasileiro e as vantagens que o novo protocolo traz para empresas de varejo, serviços e bandeiras.

A nova versão é uma versão mais fluida e segura do 3DS 1.0. A primeira versão foi criada como uma força-tarefa entre os agentes da cadeia de pagamentos para reduzir o número de chargebacks*. Antes do 3DS, as compras não reconhecidas pelo dono do cartão eram contestadas e se transformavam numa  cadeia de compensação de prejuízo que acabava no bolso do lojista. Para solucionar isso, especialmente diante do desafio do e-commerce em diferenciar os fraudadores, o 3DS 1.0 propunha usar três camadas ou dimensões de autenticação para identificar o usuário: pela bandeira, pelo banco e pelo lojista, tornando a cadeia de pagamentos muito mais segura.

Menos barreiras, mais pagamentos

Mas, para o cliente, as etapas de verificação podem ser burocráticas ou pouco intuitivas, evidenciando a importância de atualizar o protocolo de autenticação para valorizar a experiência do consumidor. Ser redirecionado para páginas dos bancos e ter que colocar mais senhas se tornou um empecilho na experiência deles –o que gera aumento do abandono do carrinho de compras, um pesadelo para os lojistas.

A Adyen soluciona esse problema com a chegada do 3DS 2.0 para os e-commerces, tornando o processo de verificação praticamente imperceptível para o cliente, que fica mais seguro, satisfeito e propenso a seguir com a compra. Do outro lado, temos um número maior de dados disponível para o emissor – facilitando a análise de risco.  "A Adyen desenvolveu toda a experiência de checkout fluido dentro de casa. Com a versão 2.0 do 3DS, o processo só melhora em flexibilidade, transparência e controle em cada uma das etapas de pagamento" avaliou Pedro Cardoso, Head de Adquirência e Parcerias Estratégicas da Adyen para a América Latina. "Outro objetivo é o de aumentar o combate à fraude sem diminuir a taxa de conversão. Ainda temos um gap de 20% de taxa de conversão entre o pagamento em loja física e o e-commerce que precisa ser equilibrado".

Evolução do 3DS com a Adyen

A principal diferença do 3DS 2.0 em relação à versão anterior é a maior quantidade de dados disponíveis e o uso inteligente disto. O protocolo, certificado da Adyen, permite que bandeiras, bancos e varejistas acessem mais de 100 campos de informação utilizando a nossa plataforma, desde nome e endereço do consumidor, até histórico de compras, ticket médio e comportamento nas plataformas digitais. Com mais conhecimento em mãos, identificar o consumidor legítimo se tornou mais fácil e seguro, com menor necessidade de intervenção dele para se autenticar.

E, nos casos em que a autenticação é necessária, o que pode ser feito de forma dinâmica pelos lojistas via o 3DS Dynamic na plataforma da Adyen, esse processo ocorre por formas consideradas menos invasivas para o usuário. Exemplos incluem as formas de autenticação OTP, ou One Time Ping, como biometria e códigos enviado via SMS. Isso evita que a senha do cartão seja digitada para verificar a transação online – eliminando o desconforto e a insegurança que, muitas vezes, levam o cliente a abandonar o carrinho de compras.

Corrigindo falhas e entendendo as preferências de compra

Além disso, com todos estes dados em mãos, o e-commerce não precisa mais sofrer com o código "05 - do not honor". Em vez de receber um código genérico de erro na transação, que pode envolver desde fraude até outras falhas como problema de autenticação, pode receber um registro detalhado dos motivos da transação declinada. Com isso, o varejista pode corrigir essas falhas e entender melhor as preferências do consumidor.

"A digitalização do varejo fez os fraudadores se movimentarem, buscando estar à frente dos protocolos de segurança. Por isso é tão importante para lojistas manterem o e-commerce protegido."

No Brasil, as bandeiras de cartão exigem a autenticação 3DS em todas as compras online, e a Adyen sempre esteve à frente dessa demanda, sendo a primeira processadora a oferecer globalmente três opções de SDK para varejistas, que transferem à Adyen a responsabilidade de autenticar as transações junto às bandeiras e bancos emissores, sem riscos de chargeback.

Entre em contato para entender como manter os mais elevados padrões de segurança para seu negócio online, descomplicando o pagamento dos consumidores e assegurando volumes maiores de transações.

 

* Consulte termos técnicos no nosso Glossário sobre pagamentos